Simule e contrate

Quixote de bicicleta

Gilberto Dimenstein
Chamado pelos filhos de “professor Pardal”, porque tantas eram suas engenhocas espalhadas pela casa (a tampa aquecida da privada ou um tobogã dentro da sala, por exemplo), o engenheiro industrial Felício Sadalla sempre foi obcecado pela ideia de que as cidades deveriam criar ciclovias.
Criador e criatura
Falava e dava o exemplo: todos os dias, percorria 13 quilômetros até o trabalho, montado numa bicicleta elétrica desenvolvida em sua garagem, há 35 anos. “Eu provavelmente era a única pessoa no país a andar de bicicleta elétrica.”
Mas ele não achava nada extravagante. “É uma simples questão de bom senso.” Para ele, uma bicicleta pesa 20 quilos e carrega sem problemas um ser humano -um carro pesa uma tonelada. “Nada é tão barato, comparado com rodovias e metrô, do que abrir uma ciclovia.” Sem contar a óbvia economia de combustível, reduzindo a poluição.
A bordo de sua invenção, Felício sentia-se isolado como uma espécie de Quixote urbano. Por isso, ficou emocionado com a notícia recebida, no mês passado, no dia em que completou 81 anos. “Fiquei quase cinco noites sem dormir direito.” Com tanta agitação, o médico recomendou-lhe repouso fora de São Paulo.
Vindo do Mato Grosso, quando tinha quatro anos, Felício fez parte de uma das primeiras turmas da FEI (Faculdade de Engenharia Industrial) e se especializou na Inglaterra. Poliglota, fala sete línguas e tem como um dos seus prazeres vasculhar sebos.
De volta ao Brasil, montou sua empresa e sempre acompanhou as experiências do carro elétrico desenvolvido no Brasil pelo empresário Amaral Gurgel, de quem era amigo pessoal. “O motor não funcionava direito para o carro.” Ajudou a adaptar um motor híbrido, combinando eletricidade e gasolina -também está em seu currículo ter ajudado o navegante Amir Klink.
Fez a sua bicicleta elétrica, acreditando que as cidades deveriam construir uma alternativa urgente aos automóveis. Mas sentia que ninguém prestava atenção -a modernidade se traduzia nos carros ou no metrô.
Com a idade avançada, a bicicleta ficou encostada. Mas não ficou parada. Uma seguradora (Porto Seguro) já usava bicicleta para oferecer socorro aos seus segurados e soube do modelo desenvolvido por Felício.
Decidiu estudar a possibilidade de produzir em série, contratando um escritório de design. Felício dava as dicas sobre o motor, sem qualquer preocupação com patente.
No dia do seu aniversário, ele recebeu a notícia do início da produção brasileira das bicicletas elétricas para circularem em São Paulo, com motor ecológico. Na data de seu nascimento, se comemoravam os 40 anos que o homem pisou na lua.
Foi um dia tão marcante que Felício viu a grandiosidade daquela viagem espacial como uma boa coincidência para festejar sua bicicleta.
Veja também
Prefeitura inicia construção de ciclovias em São Paulo

Cada personagem enriquece o repertório de Lázaro Ramos
Tags: Felício Sadalla
Compartilhe e Socialize:
 
Patricia Sadalla Collese ( FILHA )
14/08/2009
Pai,
Um dia te perguntei qual era o seu sonho e você me disse que o maior sonho era que seus inventos pudessem melhorar a vida das pessoas .
HOJE ESTE SONHO ESTÁ SE REALIZANDO - VALEU PAI !
Fico muito feliz que ‘ alguns diassssssss atrás’ te vi indo para o trabalho com a sua bicicleta e vi o quanto as pessoas riram enquanto nós te admirávamos e torcíamos pra que um dia suas invenções tivessem retorno . Riram porque um gênio como você vislumbra as melhorias de uma cidade 30 anos antes da grande maioria das pessoas.
Fico emocionada , hoje , de saber que a grande maioria que um dia te ouviou e pensou que você era um louco está hoje, lendo está matéria e te dando os parabéns.
Ser filha deste professor pardal , gênio, humilde , companheiro e pai presente é um privilégio de poucos e me sinto muito orgulhosa de tê-lo como meu PAI , CONSELHEIRO E AMIGO DE TODOS OS DIAS !!!
Que todos os pais que estejam lendo isto, lembrem da importância que eles tem na formação do caráter de seus filhos.
Não basta ser pai é preciso ser amigo e companheiro.
Beijos de sua filha , Patrícia
 
 
 
marcos
12/08/2009
que pena que não tem um empresário p investir nessa invenção maravilhosaaa

Maria Aparecida
12/08/2009
Antes tarde do que nunca. É bom saber que nem tudo o que é bom precisa vir de fora . As pessoas precisam valorizar mais os idosos, a natureza, o ser humano.

Fabi Coelho
12/08/2009
Parabéns Felício pela original idéia e pela perseverança!
Por gentileza, quem está produzindo a bicicleta elétrica criada por você e onde podemos comprá-la? Obrigada!

Leo Oliveira
12/08/2009
Aos amigos sonhadores peço que nunca parem, pois um dia serão reconhecidos. Somos esmagados pela ganância de uns e ignorância de outros. Como em uma guerra do bem contra o mal, infelizmente algumas perdas ilustres serão contabilizadas, a exemplo de Amaral Gurgel. Haja visto que é mais fácil convencer os ignorantes que somos “loucos”. Parabéns pela contribuição Sr.Felício Sadalla, um de seus sonhos se tornou realidade.

Stella
12/08/2009
Concordo plenamente com isso com o primeiro comentário.
Por incrível que pareça existes vários empresários atrás de idéias criativas como a do Sr. Felício Sadalla, que é brilhante!

Junio Rubens
12/08/2009
Vamos torcer para que esta idéia “pegue”. Pois imaginem, com a diminiuição da poluição no ar e sonora, como nossa vida ficará melhor. Os donos de carros, deixando seu carro na garagem, economizarão financeiramente e contribuirão para o meio ambiente. Pensem nisso !!!!!

Guilherme
12/08/2009
Quem disse que é só na gringa que tem bicicleta legal? Bom demais!

Campolim Palma Tives
12/08/2009
Eu amo pessoas assim, infelismente a humanidade peca com o talento e a criatividade, característica de pessoas egoístas e orgulhosa é o que somos.
Temos o vício de manada, não olhamos pra quem pensa. Eu sofro na pele esta discriminação. Só a história pode lembrar dos competentes.
Parabéns nobre desconhecido.

clara
12/08/2009
Parabéns, gostaria de saber, quem está produzindo a bicicleta elétrica e onde podemos comprá-la? Obrigada!

francisco costa e familia
12/08/2009
parabens sr felicio vimos a reportagem e ficamos felizes pelo reconhecimento de suas idéias abraços e felicidades

sergio melo
12/08/2009
Maravilhoso. De vez em quando achamos vida inteligente neste planeta.

Adão Fernandes
12/08/2009
Parabens nós brasileiros precisamos tanto proteger o ar que respiramos, uma mentre privilegiada como a sua é digna dos mais sinceros elogios, só espero que o bichinho da ganancia não invada a mente deste “EMPRESÁRIO”, a ponto de inviabiliza a aquisição desta maravilha por pessoas umildes como eu.

Ricardo Corbetta
12/08/2009
Excelente a ideia…sou um grande entusiasta desse meio de transporte, a mais de 10 anos que só me locomovo de bicicleta por sao paulo.
3 observaçoes que gostaria de fazer:
1. è o veiculo do futuro
2. nao bastam ciclovias, mais importante é o motorista em geral considerar e respeitar a bicicleta na via; hoje em dia existe a ideologia que as ruas sao dos carros, e isto é errado. Antes de haverem carros, existiam os caminhos e todos usavam, os carrros vieram depois.
3. Essa bicicleta é muito legal, com um porem: esse quadro foi mal projetado, ele vai quebrar bem ande os tubos se cruzam, esse design pode ser bonito mas nao é resistente, VAI quebrar.

Terêzia Dias
12/08/2009
Nossa, que legal! Eu mesma fiquei emocionada, imagino, então, o sr. Felício, a Magda e toda a família?
Não vejo a hora de poder comprar a minha bicleta elétrica…
Um abraço fraterno,
Terêzia

Isabel Santoro
12/08/2009
WO!OWOWOWOWOWOWWOW
Que máximo! Vocês da família Sadalla devem estar super orgulhosos!
Isabel Santoro (vizinha do Felício Sadalla nos anos 60)

Luciana Avila
12/08/2009
Bom dia de Vancouver!
Acabo de chegar no trabalho da Maggie e aproveitei para abrir meu e-mail, no qual encontrei a materia publicada na Folha sobre o Felício Sadalla!
Que grande emocao , ver que o reconhecimento chegou a tempo !
Toda vez que venho para ca, vemos inumeras pessoas nas ciclovias, bicicletas eletricas em varios estacionamentos e pensamos nele!
Agora chegou a vez dele!
No primeiro dia que cheguei, Maira queria participar de um imenso protesto na cidade, no qual mais de 2000 bicicletas estavam andando em grupo por toda cidade, para exigir mais ciclovias, acho que aconteceu no mundo todo, inclusive em Sao Paulo. Nos andamos neste grupo gigantesco por mais de 4 hrs, foi uma emocao, e faziamos isso tambem como um ideal da familia amiga Sadalla, que bom ver a coisa acontecendo ai!
Deixo aqui um grande beijo emocionado
Luciana Avila

Ademar de Paula
12/08/2009
Fantástico!
Para seu Felício, deve ter sido realmente uma grande emoção, pois, se antecipar-se 40 anos na idéia e com desprendimento, dispensar qualquer ambição quanto a patente, etc, engradece mais ainda o feito.
Como é gostoso conhecer pessoas como ele, com tanta história de vida, com tantos exemplos de atos bons e construtivos.
Orgulho-me de estar próximo dele.
Que lhes seja permitido por um longo período colher muitos frutos positivos, pois semeou para isto.
Com muito carinho e admiração,
Ademar

Tereza Basile
12/08/2009
Que bAAAAAAAAAAAAAAAARRRRRRRRRRRRRRRRRRRRO!!!!!!!!!!!!!!!!!
Puts: ele é demais né!!!?
adorei!!!!!!!!!!!!!!!!!
Tereza Basile

Hayrton Lambert
12/08/2009
Isto parece mesmo um sonho que de tornou realidade.., não me esqueço do Tio Felício nos anos 60 sempre procurando uma forma de viabilizar a bicicleta elétrica, com tanto idealismo e coragem. Ele é mesmo um gênio, um ser humano que Deus escolheu com muito cuidado para fazer o bem e ajudar a humanidade a progredir.
Hayrton Lambert

Amanda Costa
12/08/2009
Que gatinho esse professor Pardal!
Orgulho para sempre este homem fantástico!
Te amamos!
Amanda Costa , 13a.(Projeto Anjos do Bem)

Katia Teles
12/08/2009
Que emocionante a matéria do Sr. Felício,principalmente pela simplicidade
que ele demonstra em tudo,até se deixando ofuscar pela esposa dona Magda.É
lógico que com o violino ele fica mais “audacioso”,capaz até de mandá-la
se retirar de cena!Lembra?Parabens,pela familia toda,mas muito,por ele.
Katia

Ronaldo da Silva
13/08/2009
Parabéns Felicio, moro a 20 na França, gostaria de vender seus “velos” aqui, da para gente se comunicar para commercialisar?

dupardal
13/08/2009
Parabéns Sr. Felício!!
Sou um ciclista nesta louca cidade…diariamente pedalo para meu trabalho…não possuo carro por opção…cultuemos esse hábito…bicicleta para todos!!
axé

sandra sautter
13/08/2009
Parabéns pela ideia arrojada!
Gostaria de saber quem está produzindo a bicicleta elétrica e onde podemos adquirí-la?
Obrigada

Darcy Freitas
13/08/2009
Parabéns, pessoas como você torna esse mundo mais agradável.
O seu exemplo nos orgulha muito.

Ito
13/08/2009
Tenho certeza que o Felício escreveu uma página da história, não só como pioneiro e inventor, mais principalmente como cidadão. Logo, deveriam trocar o nome da Avenida Brasil para “AVENIDA ENGENHEIRO FELÍCIO SADALLA”!.

Inês Costa
13/08/2009
Vocês só leram sobre a bicicleta elétrica!
São mais de 60 Inovações Tecnológicas de Felício Sadalla documentadas até 1980:
Cadeira de balanço…
Tapa ouvidos anti ruído….
Isolação de paredes….
Ultra som para repelir pragas na agricultura
Ventilador sem barulho
Diagnóstico das árvores com termômetro digital…
Guarda chuva auto portante com encaixe para a cabeça…
Dispositivo para virar livros….
Gerador elétrico para automóveis com a pulsação dos gases de escape….
Secador de cabelo silencioso…
Aspirador de pó silencioso….
Adição de ferro no concreto com orientação magnética
Separação de componentes do leite e derivados por corrente elétrica e choque…
Saco plástico para banho em pacientes acamados…
Medição sem contato físico das pressões dos pneus…
Papel de jornal picotado….
Marcador da quantidade de gás liquefeito….
Revestimento de cilindros de motores a explosão depositado por eletro erosão..
Recuperação das frenagens regenerativas em carros com baterias de níquel cadinion…
Carrinho elétrico para carga e descarga de caminhão…
Guindaste elétrico…
Tijolo de cimento com faixa vitrificada com energia solar concentrata…
Aparelho para determinar a vitalidade de sementes baseando-se na ressonância magnética…
Chuveiro elétrico com resistência de placas paralelas de inox…
Felício também trouxe o primeiro veículo particular eletrico para o Brasil em 1994!
Quem tiver interesse em conhecer é só entrar em contato com a filha do prof. Pardal no e-mail:[email protected] sabe outras pessoas se interessem em produzir as inovações dele. Será o maior prazer apresentar o Museu e a Biblioteca de Tecnologia Felício Sadalla!

Inês Costa
13/08/2009
Memória Felício Sadalla
“GM briga isolada por imposto menor”
Quinta, 22 de Abril de 2004
(….Seminário discutirá veículo elétrico híbrido )
O engenheiro industrial Felicio Sadalla, de 75 anos, é um aficcionado por veículos elétricos. Há 25 anos, ele tem feito experiências, construído protótipos e participado de eventos no Brasil e exterior sobre o assunto. Para ele, as bicicletas elétricas são a solução mais viável para o trânsito em uma grande cidade como São Paulo. “Defendo ferrenhamente a construção de ciclovias”, afirma o engenheiro, que participará do 2º Seminário sobre Veículo Elétrico Híbrido, que acontece nos dias 27 e 28 em São Paulo.
Em seu dia-a-dia, ele já aplica na prática o que imagina em larga escala. O engenheiro dirige um carro elétrico de marca Suzuki, importado dos Estados Unidos, e também tem um Gurgel híbrido e quatro bicicletas elétricas, três importadas e uma nacional. “Uso meu carro elétrico há 8 anos”, conta Sadalla.
“Já rodei mais de 50 mil quilômetros com ele.” O engenheiro usa baterias nacionais, que dão autonomia de 80 quilômetros sem a necessidade de recarregá-las. Com a eletricidade, ele gasta 80% menos do que gastaria se adotasse combustível. Por outro lado, já teve de trocar os jogos de bateria quatro vezes, em 8 anos, pagando R$ 5 mil cada vez. “O que economizei em combustível foi para pagar as baterias”, brinca Sadalla.”As baterias nacionais não foram feitas para isso.”
O engenheiro tentou importar dos Estados Unidos um Prius, carro híbrido da Toyota, que combina combustível e eletricidade, mas considerou o preço proibitivo. O veículo, que custa US$ 23 mil lá fora, sairia por R$ 150 mil quando chegasse ao Brasil, acrescentando impostos e taxa de homologação, e ainda ficaria sem cobertura da garantia. Ele se queixa do desinteresse das montadoras brasileiras em abraçar a tecnologia.
Apesar do entusiasmo pelo carro elétrico, Sadalla acredita que a solução para as grandes cidades brasileiras são as bicicletas elétricas, largamente utilizadas na China. Comprando-se um kit de cerca de R$ 400, é possível transformar uma bicicleta comum em elétrica, com autonomia de bateria de 30 quilômetros e velocidade máxima de 25 quilômetros por hora. “A bicicleta seria mais rápida que um carro, que, por causa dos congestionamentos, chega a fazer em média 15 quilômetros por hora.”
Segundo ele, a Secretaria do Meio Ambiente de São Paulo tem um projeto para a construção de 300 quilômetros de ciclovias, criado há 10 anos, que ainda não saiu do papel. “Um quilômetro de metrô custa R$ 50 milhões, enquanto um quilômetro de ciclovia, com um metro de largura, sairia por R$ 50 mil.”
Ele também defende o uso da eletricidade em barcos e levou sua proposta para as prefeituras de Ilha Bela e São Sebastião. “Nos barcos, a autonomia da bateria fica entre 200 e 300 quilômetros”, afirma o engenheiro. “É totalmente viável. Nos lagos da Baviera, existem dezenas de barcos elétricos.”
Fonte: Quinta, 13 de Agosto de 2009 . 12h09 @ 673
http://www.financeone.com.br/noticia.php?lang=br&nid=9947

MÁRIO RABELO
13/08/2009
Que maravilha!!!! Qual empresa está fabricando? É possível comprá-la?

Rogério Magalhães
13/08/2009
Fiquei muito emocionado quando li a matéria. Como já dito nos comentários anteriores, o mundo precisa muito dessas pessoas. Elas são belas porque mantêm viva a esperança em um mundo melhor. A emoção foi dupla: primeiro pelo gesto do engenheiro Felício Sadalla ao presentear a cidade de São Paulo com tal invento. A nobreza do seu gesto consiste exatamente no desenvolvimento de uma tecnologia para tornar a cidade melhor para os seus moradores. E o paulistano tem que valorizar o gesto para merecê-lo. Segundo, porque amo bicicleta. Tenho absoluta certeza que quem anda de bicicleta vê o mundo mais de perto.

FATIMA HOSSRI PETERS
13/08/2009
QUE MARAVILHA SR. FELICIO!!!!!
PARABENS AO SR. ESTOU MTO FELIZ DE SABER Q UMA DE SUAS ESPETACULARES INVENCOES ESTA FAZENDO O MUNDO MELHOR.
PARABENS FAMILIA SADALLA POR TER ESSA INVENCAO DIVINA Q EH SR. FELICIO E MAGDA SEMPRE INCANSAVEL ESPOSA E MAE DE TODOS….
QUE DEUS ABENCOE VCS,
COM AMOR E GDE ADMIRACAO
FATIMA

ANGELO CARMO BELUCI
13/08/2009
Parabens ao seu Felício. Gostaria de lembrar que o uso da bike faz bem ao meio ambiente e sobretudo à nossa saúde. Utilizar a bicicleta vai reduzir as calorias, melhorar nossa circulação, otimizar nosso estado emocional, além é claro de fazer muito bem para nosso bolso.

Tânia Lima
14/08/2009
Sr. Felício,
Assim como a Dna. Magda, o senhor também merece um livro! Urgente, por favor!!! Rs…
Parabéns é pouco para tanta genialidade! Aliás… quanto mais conheço a história do senhor, mais entendo o talento da família Sadalla!!!
Que privilégio conhecê-los!
Um forte abraço e parabéns sempre!